Desenvolvimento Pessoal Lifestyle

Porque Nunca Cumpres as Resoluções de Ano Novo

Dezembro 23, 2019

Com a chegada do novo ano, as pessoas começam a olhar para trás e pensar em tudo o que fizeram, assim como o que não fizeram. Olham para as resoluções de ano novo, e novamente, falharam. Parece tarefa complicada cumprir as resoluções a que nos comprometemos no ano novo. Sabemos que temos de mudar, e no início do ano até queremos, mas ao fim de duas ou três semanas já nem pensámos no assunto. Se por um lado ao início queríamos que aquele fosse o ano, no final de tudo ficámos na mesma. A verdade das verdades é que só conseguimos cumprir estas resoluções se ela realmente forem o que mais precisámos ou desejámos. É por isso que nunca cumpres as resoluções de ano novo.

Porque Nunca Cumpres as Resoluções de Ano Novo

Assim que entrámos em Dezembro pensámos apenas em duas coisas: natal e a chegada do novo ano. Ora, vocês sabem como é: novo ano, novo eu. Agora, se isto realmente acontece no final de contas, já é outra história. Nós todos os anos queremos coisas novas, mas a maioria das nossas resoluções vão de fazer uma dieta, juntar mais dinheiro, subir na carreira ou arranjar um emprego melhor, ter melhores relações, etc. São aquele tipo de resoluções a que eu chamo de cliché. Na minha opinião, e falo por experiência própria, são resoluções de ano novo vazias de emoção. Eu inclusive já fiz destas resoluções, ainda o ano passado disse a mim mesma que seria mais saudável. Se aconteceu? Nas primeiras semanas do ano.

Desde muito novos que nos dizem que à meia noite na passagem de ano temos de pedir doze desejos. Porém, desde miúda, que eu nunca gostei muito desta ideia. Por dois motivos: nunca sabia o que pedir, e pedia coisas absolutamente parvas, e acima de tudo, nunca pedia os doze, acabava por ser mais ou menos. Cresci, e o meu pensamento mudou. Dei por mim a querer melhor, a ser melhor. Bom, claro que isso pedia uma grande mudança de vida. Portanto, comecei com as resoluções de ano novo. Deixei de dizer que queria pedir peso, para dizer que durante o ano vou ter cuidado com a alimentação e praticar exercício físico. Não basta apenas dizer quero ser mais saudável, trata-se de: o que tens de realmente fazer para que isso aconteça?

Dica #1 – Dividir para facilitar

Portanto, e é aqui que entra a dica mais importante: dividir as nossas resoluções por etapas. Dou-vos um exemplo mais prático: queres escrever um livro, este ano será o ano de seres um escritor. Para tal precisas do quê? De realmente escrever o livro. Então, em vez de colocares nas tuas resoluções de ano novo “escrever um livro”, porque não colocar “escrever x palavras por dia, todos os dias”. Assim, a nossa tarefa fica facilitada, criámos um objetivo a conquistar, seja diariamente ou não, e o nosso cérebro não sente aquele à vontade para desistir. Trata-se de certa forma mudar o nosso pensamento, de mudar a nossa forma de ver as resoluções de ano novo.

Como Começar a Planear o Novo Ano

E novamente, vamos para outra dica:

Dica #2 – Não são apenas resoluções, é a tua ideia do que queres mudar

Se ao início do ano dizia que queria mais saúde, por que não começar a tratar melhor da minha saúde? Se quero ter melhores relações com as pessoas que mais gosto, porque não começar por ligar de vez em quando e manter contacto? Ou por outro lado, queres mudar de emprego ou até descobrir outro país, faz. Dizer à meia-noite que queres fazer isso, não te irá mudar como pessoa, pelo contrário. Estes pedidos que fazemos consecutivamente todos os anos, são de áreas da nossa vida que realmente queremos mudar. Nunca o fazemos, essa é a realidade, mas de certo modo são aspetos da nossa vida pela qual não estamos realmente satisfeitos.

Sabes que precisas de mudar, e não mudas porquê? Esperas que o novo ano mude isso por ti? Sabes bem que isso nunca irá acontecer. Ou te mexes para resolver os teus próprios problemas, ou eles multiplicam-se. Por isso, olha para as resoluções de ano novo não como um desejo, encara-as de frente e vê-as como objetivos a cumprir. E dá-lhes prioridade. Quando fizeres as tuas resoluções pensa na tua vida, no que queres mudar e no primeiro dia do ano muda, mas se fosse a ti, começava agora mesmo a mudar. Se não mudas, a tua vida nunca mudará.

Dicas Para Começar o Novo Ano

A próxima dica já é mais bem que falada aqui no blogue.

Dica #3 – Sabe quais são as tuas prioridades

Bom, não tem muito tempo que falei neste tópico por aqui no blogue. Sou vos sincera, quando me perguntam o principal motivo pelo qual eu gosto tanto da mudança de ano é porque sinto que é uma nova oportunidade para ser melhor pessoa. Eu vibro imenso com a entrada de um novo ano. Adoro imenso pensar no ano anterior e ver o que posso vir a mudar, adoro saber que sobrevivi a mais um ano e que um novo ano cheio de oportunidades está ao virar da esquina. Mais do que uma questão de querer mudar, é uma razão para não perder o entusiasmo pela vida.

“Se te conheceres, saberás à primeira vista o que é bom para ti, ou o que não é”. Das frases que mais me tem acompanhado durante este ano. É das frases que mais oiço e digo, muitas pessoas dizem que é conversa de quem não quer sair da zona de conforto, eu digo-vos que é conversa de quem sabe o que quer. Não me conheço por completo, é uma tarefa que leva tempo, portanto, à medida que o ano avança descubro novas prioridades e algumas ficam para trás. Falei mais sobre o assunto nunca publicação dedicada ao tema, convido-te a leres para entenderes melhor o porquê de precisares de ter prioridades e saber bem quais são para que o próximo ano seja o teu ano.

Como Saber Que Aspetos da Nossa Vida Temos de Melhorar?

Dica #4 – Não precisas de esperar pelo dia 1 de Janeiro para mudar

As pessoas adoram a passagem de ano, as festividades e aquele sentimento no ar de que a vida vai mudar. É um recomeço, e só por isso elas adoram. Sentem mesmo que o próximo ano será o melhor, irão despedir-se do trabalho e viajar o ano todo, assim que tenham oportunidade. Mas, claro, essa oportunidade nunca chega. Podemos até querer mudar de país, fazer uma mudança radical de penteado ou despedir-se do trabalho: mas aquele sentimento de falhanço continua. Qual o motivo para isso? Porque as pessoas colocam demasiadas expectativas numa simples mudança de ano. O ano muda, mas isso não quer dizer que mudes também.

Se continuas a mesma pessoa que quer ser saudável, mas esquece-se de fazer refeições em condições, opta por fast food dia sim e dia sim senhor, se praticar exercício físico está fora de questão: então como queres ser saudável? Se queres um melhor emprego, com mais condições, porque não procuras outro? Porque a segurança de estar nesse emprego dá-te segurança, mais vale esse e mau, do que nenhum. Se queres viajar pelo mundo, porque não começas com as tuas poupanças em vez de ires todos os fins de semana às compras? A realidade da nossa sociedade é que no primeiro dia do ano quer mudar, contudo, não faz nada para mudar no resto do ano.

Quando Devemos Começar A Planear O Novo Ano?

Festejam tanto a chegada de um novo ano, mas esquecem-se de que não precisam de esperar pelo primeiro dia do ano para mudar. Este é o ano, é um bom pensamento. Mas, melhor do que isso só um este ainda poderá ser o meu ano. Tens mais de 365 dias para mudar, aguardas ansiosamente para um único dia, como se a tua vida pudesse mudar em apenas 24 horas, realmente pode, mas quero ver-te a mudar a pessoa que és para a que queres ser num espaço tão curto de tempo.

Acreditem ou não, já fui essa pessoa que todos os anos dizia que iria mudar, e nunca mudava. Já fui essa pessoa, e precisei de passar por essa fase para entender o que não quero e o que realmente quero. Não importa quem foste, mas importa quem és e quem serás. Querer mudar é o primeiro passo, não precisas de esperar pelo início do ano para tal, e por isso que as resoluções de ano novo nunca resultam. São como palavras ditas da boca para fora. Sem vontade e ação, não se faz nada. Não esperes para a próxima semana, hoje é o dia. Na próxima semana poderá ser muito tarde.

Um vídeo incrível que vais querer ver: How to Actually Stick to Your Resolutions This Year

Deixar uma resposta