Lifestyle Literatura

Talvez Isto Seja Um Q&A

Durante o mês de Agosto pedi para algumas pessoas fazerem perguntas no Instagram. Admito que não estava de todo à espera de perguntas, não é uma ferramenta que ache assim tão útil, pelo menos para quem tem poucos seguidores. Ainda por cima, acho eu que os meus seguidores são preguiçosos quando se trata de responder a pergunta sou fazer, eles preferem sempre o questionário ou sondagem (até eu prefiro!). Mas, consegui juntar algumas perguntas, a maioria das perguntas encontra-se relacionadas com uma publicação que eu fiz a mostrar a proeza de ler mais de sete livros em apenas cinco dias, por isso, decidi juntar todas essas questões numa só publicação devido a uma recomendação de um seguidor. Eis que consegui juntar algumas perguntas, e aqui estou eu, a fazer um género de Q&A, pela primeira vez aqui no blogue. Fiquem desse lado, porque darei imensas dicas que vos podem ajudar a ler mais.

Quantas horas por dia lês? Como podemos fazer para ler mais depressa?

Visto que até leio imensos livros, devem achar que passo mais de metade do meu dia a ler. Errado. Acreditem que passo pouco tempo do meu dia a ler, com alguns projetos que tenho em mão, mais o blogue e ainda trabalhar, sobra-me mais do que um par de horas. Claro que há aqueles dias de pura preguiça que me dou ao luxo de passar um dia inteiro a ler, mas esse dias são bem raros, só mesmo se eu estiver a gostar imenso do livro que estou a ler. Primeiro que tudo, eu dispenso sempre pelo menos duas horas do meu dia dedicadas apenas à leitura, normalmente é uma hora de manhã e outra à noite. Isto apenas durante a semana, ao fim de semana como trabalho deixo essa regra de lado, sei que não vou conseguir concentrar-me o suficiente na leitura.

Durante a semana, assim que acordo leio um pouco e antes de dormir a mesma coisa. Ajuda o facto de ser uma leitora rápida, muitos anos a ler, vocês sabem. Agora, uma dica para vocês conseguirem ler mais depressa: é ler todos os dias, todas as semanas, todos os meses, durante muitos anos. Quanto mais lê mos, mais chances temos de aumentar o nosso ritmo de leitura. Eu antes demorava uma semana para ler 300 páginas, agora leio um livro com esse mesmo número de páginas num par de dias, e se não for menos. É uma questão de ler, ler e ler. Não há melhor dica do que essa. Claro, há sempre aquelas alturas do dia que o nosso cérebro parece mais apagado e sem energia, evitem ler nessas alturas. Sentiram aquela necessidade de fechar os olhos, ou até mesmo pousar o livro.

Como escolhes o livro seguinte?

Durante muito tempo eu fazia um género de tbr para o mês e depois ainda fazia uma para cada semana. Deixei de fazer isso ainda este ano, mudei de ideias e senti que as leituras fluíram mais depois que adotei um novo método. Normalmente sei sempre aquilo que quero ler, tenho aquele pressentimento. Pego nos diversos livros que tenho na estante por ler, folheio e leio sinopses. Aquele que chamar mais por mim, será aquele que vou ler. Acabo por escolher as leituras de certa forma por instinto, eu sinto que os livros falam comigo e dizem-me quais é que devo ler naquele momento. Claro que há aqueles dias que não acerto na leitura, mas caso perceba que não devo ler aquele livro naquele preciso momento, mudo de leitura sem culpas.

Como arranjas tempo? Ou lês rápido?

Para mim não há arranjar tempo para ler, não se trata de um compromisso, para mim, é já um hábito que faz parte de mim. A leitura para mim no dia a dia é como comer, dormir e tomar banho. Eu preciso da leitura, sejam muitas páginas ou poucas, eu preciso de ler. Durante o fim de semana como estou a trabalhar e chego sempre cansada, acabo por pegar num e-book e ler apenas um capítulo, mas leio. Um dia sem ler e eu sinto um vazio dentro de mim. Não vos sei explicar exatamente. Não tornem a leitura numa obrigação, tornem sim em algo que fazem por puro prazer, por que vos faz bem. E sim, leio rápido, ajuda imenso a avançar nas leituras, mas também há dias que leio muito devagar. Depende do meu estado de espírito e do cansaço.

Truques para ser mais produtiva nas leituras?

Já escrevi uma publicação no blogue onde dei algumas Dicas Para Ler Mais, mas nunca é demais voltar a referir algumas dicas. Uma das maiores dicas que dou a todos é deixar as redes sociais de lado e pegar num livro. Em vez de passarmos uma hora ou duas a ver fotografias no feed do instagram, ou a ver publicações aborrecidas no Facebook, porque não usar essas horas para ser produtivo nas leituras? Ando a tentar diminuir o tempo que passo nas redes sociais, não tinha noção da quantidade de tempo que perdia a ver coisas que não me interessavam. Basta darem esse passo e vão ver o número de livros lidos vai aumentar drasticamente.

Outras dicas que podem ser úteis:

  • ler mais do que um livro ao mesmo tempo;
  • quando estiveres mais cansado podes sempre optar por audiobooks, recomendo-te a leres esta publicação Subscrevi ao Scribd, E Agora? onde falo sobre a aplicação que me ajuda a ter uma quantidade ilimitada de audiobooks, assim como e-books. E ainda, para aqueles que não são fãs do género ou ainda estão a começar, leiam este artigo e aprendam algumas dicas de Como Dou Uso Aos Audiobooks?;
  • levar um livro para todo o lado;
  • aproveitar qualquer minuto livre para ler;

Para mais dicas consultem o artigo que referi acima com dicas para ler mais.

Como surgiu o gosto pela leitura?

Desde muito nova que senti uma certa curiosidade pelos livros. Desde que me recordo que pedia à minha mãe livros infantis para ler, à medida que cresci essa curiosidade só aumentou, e por isso, passei a pedir livros maiores e cada vez mais. Digo-vos que tudo começou com uma pequena prateleira e já vai numa parede inteira com prateleiras. A minha mãe incentivou-me imenso a ler, mesmo sendo algo que ela não faça, ela nunca me proibiu de ler. Tenho todos os meus livros infantis guardados, foram eles que deram aquele impulso para o mundo dos livros. Bastava a minha mãe ter dito não compro mais livros durante a minha infância e não sei se iria por este caminho. Mas, sem dúvida, que foi aquele detalhe fundamental para crescer o gosto pela leitura.

Até vos digo mais, quando estava na escola, demorei a aprender a ler, cheguei a ter aulas de apoio. Depois que apanhei o jeito de juntar as letras e conseguir uma palavra, nunca mais parei de ler. Participava em concursos, e tudo mais, muitos dos professores davam livros para incentivar os alunos. Recordo-me de uma professora da primária, que no final do ano, escondeu um livro na minha mochila. Ela sabia que eu gostava de ler, andava eu sempre com um livro infantil, só percebi que ela tinha lá colocado o livro quando abri a mochila, lá uma semana depois. Fiquei encantada. Ainda hoje guardo o livro, e a recordação.

Livro que mais te surpreendeu e livro que mais te desiludiu.

Esta pergunta é tão complicada! Já li mais de quinhentos livros, sei disso porque acabo por os contabilizar nos GoodReads e fora aqueles que li antes de usar a plataforma. Mas, tenho a certeza que mais de quinhentos já foram. Com esse número de leituras já dentro da minha mala, é complicado referir apenas um livro, que tenha gostado ou detestado. Por isso, vou fazer um esforço para não me alongar muito nesta questão.

Livro que mais me surpreendeu: por onde começar esta lista enorme? Vou começar por falar da maior surpresa de sempre: Ondjaki. Nunca pensei vir a ler nada deste autor, tinha visto algumas críticas, mas na altura não chamou de todo à minha atenção. Por meio de uma recomendação lá acabei por ler Os Da Minha Rua e surpreendi-me imenso. Outro livro que ainda é pouco conhecido entre os leitores portugueses: The Poet X de Elizabeth Acevedo, infelizmente nenhum editora portuguesa decidiu pegar neste livro, deviam. Por fim, um livro que li recentemente e não estava de todo à espera de gostar: Rebecca, um clássico da autora Daphne Du Maurier. Ficou um favorito da vida.

Uma leitura que me desiludiu imenso foi Chama-me Pelo Teu Nome, na altura que li este livro fiquei muito desiludida. Tantos leitores que amaram o livro, e eu simplesmente não consegui gostar. Fiquei tão insatisfeita com o livro. Eu queria mais do que aquilo, não consegui gostar de uma única parte. Outro livro um pouco diferente é o do Mark Manson, que todos dizem ser um dos melhores livros de auto-ajuda, e eu só acho que é muita fama para tão pouca qualidade. Por fim, um último livro, Três Coroas Negras. Uma surpresa, até para mim, que tinha tantas expectativas. Verdade seja dita, apesar de não ter gostado do primeiro e o segundo não ter me satisfeito, mesmo assim quero ler o terceiro para ler até onde esta loucura pode chegar.

Qual é o teu autor preferido?

Mas que pergunta! Claro que é o Stephen King, o motivo em especial é a mente brilhante daquele senhor, sem esquecer a escrita dele que nunca me canso. Não é a toa que estou a fazer um género de desafio de ler todos os seus livros, desde do primeiro livro publicado até ao mais recente. Pretendo ler obras de ficção e não ficção, assim como séries e livros de contos. Tudo do autor, quero e preciso. Já estou a ficar com uma boa coleção de livros dele!

Qual foi o livro que marcou a tua infância?

Um livro que mais me marcou durante a infância… Acho que nenhum. Gostei de todos aqueles que li, na altura não me preocupava em se gostava ou não, tudo me parecia bem. Mas haviam um livros de princesas que eu sempre adorei, e havia ainda umas histórias de dois netos com o avô que eu sempre tive um carinho especial.

Qual é a tua opinião sobre leituras obrigatórias?

Admito que durante muito tempo desvalorizei as leituras obrigatórias, mesmo eu sendo uma leitora. Só no secundário comecei a dar valor, mesmo sem gostar das obras obrigatórias que tínhamos de ler, eu compreendia o motivo. O exemplo d’Os Maias que na altura eu não gostei nada, mas agora que penso na obra e tudo mais, fazia sentido estudar aquilo. Mas, se concordo com o facto de estarem a dar obras tão complexas a jovens, é outro caso. Adorei ler o Memorial do Convento de Saramago, foi das obras que mais me tocou. Assim como gostei de estudar Freí Luís de Sousa. Se acho fundamental um estudante ler as obras obrigatórias? Acho, acreditem que vão aprender muito, se acho que deveriam optar por outras obras? Sim, variar um pouco. Trazer novas opções, mas por favor, não deixem de estudar os grandes autores portugueses, como o caso de Saramago e Eça.

Algum livro que gostas de colecionar em edições e línguas diferentes?

Até agora estou a colecionar Harry Potter nas edições ilustradas, tenho as edições normais da Editorial Presença, assim como tenho em inglês na versão de Gryffindor. Para além disso, tenho os livros da Louisa Clark (se não sabes quem é estou a julgar-te) em português e em inglês. De resto, não tenho por hábito colecionar livros de edições diferentes, só se gostar demasiado do livro ou não estiver satisfeita com a primeira versão que eu tenha.

Ainda haviam mais perguntas, mas eu prefiro ficar por aqui. Algumas iriam dar ao mesmo, e não queria tornar esta publicação demasiado grande. Acho que respondi ao essencial, dei maior destaque às perguntas sobre dicas para ler mais, mas também falei sobre leituras que me aqueceram a alma, livros que mais valia nem ter lido, e um pouco de como foi a minha infância com os livros. Na minha opinião respondi ao mais importante e que muitos perguntavam. Em breve talvez traga mais perguntas.

Lê também

Sem Comentários

    Deixar uma resposta