Literatura Opiniões Literárias

O Homem das Castanhas de Soren Sveistrup

Outubro 22, 2019

Este livro foi daqueles livros que eu deveria ter lido mais cedo. Demorei a ler este livro, estava à espera do momento certo, nunca iria descobrir quando seria a altura certa. Perdi o medo e decidi enfrentar este calhamaço. Criei um género de desafio para mim mesma, no qual partilhei nesta publicação onde falo de 10 Thrillers Para Este Outono, um dos primeiros thrillers mereceu cinco estrelas, depois peguei neste e o medo de me desiludir foi tanto que avancei na leitura sem quaisquer expectativas. Será que gostei de um dos livros traduzido pela Suma de Letras, que foi alvo de tanta atenção, que foi tão bem falado? A verdade é que apesar de ter visto muitos bloggers a receber este livro antes da data da publicação, não vi assim tantas opiniões. Não sabia ao certo para o que ia e não tinha nenhuma base. A sinopse parecia-me incrível, e este estilo de thriller nórdico encantam-me sempre.

Este thriller destaca-se dos restantes que eu já li por dois motivos: é um calhamaço, mas nem notámos isso. A leitura é tão fluída, tão envolvente que voámos completamente pelo livro. O tamanho assusta, mas a história conquista e avançámos capítulo atrás de capítulo. Não queremos pousar o livro, queremos saber mais e mais. Acompanhar as personagens, ver até onde esta loucura de história vai chegar. É completamente doida e entusiasmante. Outro ponto, que cada vez mais valorizo nos livros em geral, a forma como inserem temas da atualidade, neste caso destaco a política. Parece que a história torna-se mais real, por momentos senti que estavam a descrever a nossa sociedade de hoje em dia. É sempre bom ver a ficção, principalmente em thrillers, a querer passar uma mensagem mais forte, a querer sensibilizar.

A escrita é muito bom, fiquei impressionada com a escrita. A escrita foi um dos pontos fundamentais para tornar a leitura mais fácil de digerir, haviam descrições muito detalhadas na minha opinião, e acho que não era necessário acrescentar nada. Os diálogos eram simples e diretos, gosto imenso disso. Porém, nem todos os escritores conseguem dar esse tipo de diálogos, neste livro isso foi bem conseguido. As personagens não há muito que se diga, não fogem muito à regra destes policiais nórdicos, gostei um pouco de cada personagem, algumas mais divertidas que outras, algumas com histórias mais profundas que outras. Havia ali um casal que estava a torcer para ficar junto, infelizmente não foi o caso. É daqueles thrillers que facilmente eu recomendaria a alguém: tem uma escrita acessível, personagens envolventes e um enredo de causar arrepios.

O final da história deixou-me surpresa, tenho a admitir que as minhas desconfianças e teorias acertei em poucas. O final foi o merecido, é daqueles finais que já perdemos a esperança que possa acabar bem, só tem sido desgraça atrás de desgraça. Contudo, somos surpreendidos com a verdade e ficamos chocados. Ao descobrir que algo tão pequeno, desencadeou isto tudo. Senti-me mesmo dentro da mente de um psicopata, chegou a ser assustador. Se gostei de quem foi realmente o culpado? Não posso dizer que tenha gostado por completo, de certo modo, entendo o motivo pelo qual ele foi escolhido como culpado. Nesta história fazia todo o sentido, portanto, sim até foi uma boa escolha. Mas, podia ter sido pensada noutra opção, uma menos óbvia.

O Homem das Castanhas é mais um daqueles livros que não vos sei passar exatamente o que eu sinto. Gostei e recomendo, um thriller que deveria estar a ser mais falado. É cativante da primeira até à última página. Acredito que é capaz de surpreender até os leitores que não são fãs deste género literário. Uma boa escolha para quem está à procura de um thriller envolvente, com história e que nos faça virar página atrás de página. Acredito que será um dos preferidos deste outono. Uma quase leitura obrigatória para este outono.

    Deixar uma resposta