Literatura Opiniões Literárias

O Fenómeno do Psicopata Com Bom Gosto Literário

Agosto 13, 2019

Se ainda não conhecem a série You adaptada este ano pela Netflix do livro da autora Caroline Kepnes, vocês devem viver debaixo de uma rocha. A série saiu e causou logo um grande impacto, e o livro? Claro que passou ao lado de muitos, mas para os leitores ávidos como nós, esperamos que saísse o livro em Portugal. E realmente saiu! A Editorial Presença demorou um pouco mas trouxe-nos o livro que deu origem à série. Será que é bom? Vale a pena? E comparado à série? Gostei eu deste psicopata literário?

Sabemos logo ao início que seguimos o ponto de vista de um psicopata: Joe. Para muitas pessoas que leram este livro, é um facto que causa transtorno. Admito que adorei imenso o facto de o livro ter sido escrito pelo ponto de vista do Joe, deu assim um toque especial à história. É raro e complicado escrever uma história entrando na cabeça de um psicopata, Joe é mais que um psicopata. Acredito que tenha sido muito complicado escrever este livro, com tantos momentos de causar arrepios e de transtornar qualquer um. Para mim, Joe é das personagens mais malucas, e tornou-se logo das minhas personagens preferidas.

Sendo Joe um stalker, sabemos bem ao que vamos. Só não estamos à espera da capacidade de ser stalker que Joe tem. Não é apenas perseguir nas redes sociais, como muitos de nós fazem. É hacker, perseguir, matar e criar ilusões. Sabia ao que ia, estava preparada, contudo, a autora conseguiu mostrar-me que afinal não sei tudo sobre thrillers e que nem todos os livros deste género são assim tão previsíveis. Não concordamos com as atitudes da personagem principal, mas mesmo assim continuamos a leitura pois ele acaba por cativar-nos. A sua loucura cativa o leitor. Para além do mais, a escrita da Caroline Kepnes é qualquer coisa de especial, dei por mim a devorar o livro de uma hora à outra.

Porém… Não seria o primeiro livro que eu recomendaria a quem nunca leu nada deste género literário. Para mim, este thriller não é de todo o melhor para começar, não é fácil de digerir e pode causar alguns traumas. Acaba por ser uma leitura diferente, fora da zona de conforto, porém, quem não está familiarizados com o estilo pode ficar com má impressão e nunca mais pegar num thriller. O que para mim, é realmente muito triste, honestamente, os thrillers deveriam ser um género literário bem mais reconhecido cá em Portugal.

O final do livro eu meio que estava à espera que fosse algo do género, o desfecho não poderia ser outro para além do que teve. Ficou muito bem, gostei foi o final merecido para o livro que foi. Com uma história cheia de tensão, com muitos momentos arrepiantes e de cortar a respiração. O final não foi menos nem mais que o resto do livro, foi o ideal para termos uma história que custa imenso terminar e voltar a pôr na estante. Para os que gostaram do livro, há uma continuação. Podemos acompanhar a história de Joe após Beck, mas para quem não gostou nada, ao menos teve oportunidade de conhecer um dos psicopatas literários mais cativantes. Estou neste momento a ler o segundo livro, tenho a dizer que está a ser muito diferente do primeiro, contudo, não deixa de ser aterrorizador.

Um livro que não é para todos, mas que se algum momento tiverem oportunidade de ler: leiam. É uma história diferente, o enredo mantém sempre um ritmo constante e a leitura fluí que nem uma maravilha. As personagens são interessantes, não apenas o Joe, mas como todas as outras personagens que são colocadas na história estrategicamente. A série não fica muito atrás, não é a cópia exata do livro, já sabemos bem como funcionam as adaptações, mas não fica muito atrás. Porém, tenho a dizer que não acho a série tão traumatizante quanto o livro.

  • Reply
    Maria
    Agosto 13, 2019 at 11:12

    Acabei de saber que vivo debaixo de uma pedra….

    • Reply
      Daniela
      Agosto 15, 2019 at 19:18

      Espero que tenha entendido que se trata apenas de uma brincadeira. 🙂

      • Reply
        Maria
        Agosto 16, 2019 at 09:18

        Sim, percebi que era uma expressão.
        No entanto, há pessoas (como eu 😀 ) que pouca tv vêm, nunca viram GOT e, pasme-se, só têm a TDT normal! Sou uma ave rara, eu sei.

Deixar uma resposta