Desenvolvimento Pessoal Lifestyle

E Se Formos A Nossa Própria Luz?

Julho 24, 2019

Ultimamente dou por mim a procurar formas de viver por mim. Sinto uma necessidade de ser independente e não depender diretamente de alguém. Todos precisámos de alguém, não somos de ferro e uma ou outra vez sempre precisámos de carinho. Para mim, basta-me aqueles que eu sei serem e quererem o melhor para mim. Enquanto estava em casa a ver uns vídeos dei por mim a pensar em algo do género ser a própria inspiração. Tenho andado um pouco desmotivada, é normal, estou a passar por um período da minha vida em que tenho apenas tempo para trabalho, quando chego a casa é mesmo descansar. Isso tem influenciado o meu estado de espírito, não tenho a minha rotina onde cuidava de mim, tinha tempo para mim e ainda sobrava tempo para aquilo que eu mais gostava. Com isto, ando quase sem energia.

Manter a motivação é complicado, e eu tenho tentado ao máximo motivar-me a mim mesma. Ser a minha própria fonte de motivação e inspiração. Para caso surja algum problema, não ter uma quebra muito alta de produtividade. O que eu tenho feito para ser a minha própria luz? Bem, comecei por finalmente atirar-me a um diário. Mas, não é um diário qualquer, limito-me a usá-lo quando sinto necessidade de falar ou expulsar cá para fora aqueles pensamentos que nos tiram o sono. Escrevo, escrevo e escrevo. Digo que enquanto escrevo estou numa conversa comigo própria.

Para além disto, comecei a ouvir mais e falar menos. Sou uma pessoa que quando tem confiança fala muito. Agora começo a prestar mais atenção, principalmente quando estou sozinha. Tenho tentado criar um género de ligação com o mundo que me rodeia. Se odeio o espaço onde estou, se ele me deixa desconfortável, eu paro e presto atenção. Porque vou odiar este espaço? Os sons que me rodeiam, as pessoas, tudo… Prendo-me no momento e deixo-me levar, é como se estivesse a meditar num curto espaço de tempo.

Como nem sempre é fácil ter motivação, para ajudar-me nesta tarefa de ser a minha própria luz eu procuro seguir e inspirar-me naqueles que já fizeram o percurso que eu pretendo fazer. Tenho lido imensos livros de auto-ajuda que possam facilitar o caminho que tenho de seguir para conseguir o que eu mais ambiciono. Os vídeos e os podcasts são uma mais valia nos dias que estou mais cansada. Ouvir falar quem já passou pelo mesmo que nós dá um certo conforto, é algo como: se ele conseguiu, eu também vou de certo modo conseguir. Procurar inspiração é das melhores formas de sabermos como ser a nossa própria inspiração.

Dançar. Conto-vos em especial um dia da semana passada que acordei sem energia. Não me apetecia ir trabalhar. Estava a fazer a minha rotina habitual, quase prestes a sair de casa quando pensei: não posso ir trabalhar com este estado de espírito. Então, parei uns minutos, respirei fundo e dancei. Coloquei a música que mais me fazia vibrar, dancei como uma doida e ri-me. Sozinha. O meu estado de espírito logo melhorou. Dei por mim a cantarolar enquanto ia para o trabalho. E quando lá cheguei: não parecia mais uma obrigação. Por vezes, precisámos apenas de uma dança para abanar os nossos sentimentos e mandar embora o mau humor.

E, por fim, o que eu mais gosto: de conversar com as pessoas mais velhas. Como trabalho com atendimento ao público, acabo por lidar com pessoas boas e pessoas más. Eu nem gosto de as chamar como pessoas más, prefiro apenas dizer que são pessoas num dia mau, e todos têm direito a dias maus. Oiço muitas histórias, muitas delas inspiradoras. Admiro imenso as pessoas de mais idade, elas têm sempre algum conselho para nos dar. Acho que meia dúzia de minutos a conversar com um desconhecido pode mudar o nosso dia de forma surpreendente. Com os poucos meses de trabalho que tenho, guardo imensos conselhos e conversas de pessoas que não conhecia, mas que agora vejo como amigos.

Formas simples e que a longo prazo acabam por mudar a nossa forma viver. Se procuram assim como eu ser a vossa própria luz, fonte de inspiração, experimentem as dicas que vos dei. O primeiro passo é realmente querer, basta o nosso cérebro sentir que queremos mudar que ele adaptasse facilmente. Um passo de cada vez e conseguimos conquistar os nossos sonhos. Parar é a chave para resolver muitos problemas, e acima de tudo, ouvir a nossa intuição também é muito importante. Não desvalorizem aquilo que o nosso corpo diz, por vezes a resposta está mesmo dentro de nós.

    Deixar uma resposta