Cinema Lifestyle Literatura Opiniões Literárias

O Que Chris McCandless Acharia da Sociedade Em 2019?

Junho 20, 2019

No início deste ano finalmente li um dos livros que mais me recomendavam: O Lado Selvagem de Jon Krakauer. Não vos sei dizer ao certo porque nunca comprei este livro, eu sempre senti que iria adorar. Sabia o básico da história, que relatava a história de um rapaz que após acabar a universidade decidiu aventurar-se deixando para trás tudo, família, dinheiro, amigos. Que loucura. Infelizmente, também sabia o final do livro, mas isso nunca me tirou a vontade em descobrir por mim mesma a história de Chris.

Não é novidade nenhuma que terminei o livro com lágrimas nos olhos, foi um livro que revirou cada célula minha. Uma história de cortar o nosso coração aos bocados. Dei por mim a olhar para Chris, ou Alex, e ver um rapaz que queria viver, da melhor forma que ele sabia, sem precisar de muito para ser feliz. Porém, a vida troca-nos as voltas, e não podemos ter certeza do futuro e partir numa aventura assim tinha muitos riscos. Admiro-o por ter aguentado tanto, por ter também aprendido tanto e de certo modo, ensinando tanto a quem conheceu pela estrada. É uma loucura, isto só poderia vir a dar errado, contudo, ele teve coragem para de certa forma seguir com a sua ideia – mesmo que doida.

Demorei mais tempo ainda para ver o filme. Eu sabia que iria chorar, talvez ainda mais do que com o livro. Mas, finalmente vi, e claro, chorei. A interpretação foi tão boa, a forma como conseguir passar a mensagem e tudo o resto. Simplesmente foi incrível. Um filme impossível de esquecer. Aliás, uma história impossível de esquecer. Vejo-me no futuro a rever este filme e voltar a sentir aquele aperto no coração, é daqueles filmes e livros que inspiram apesar da dor que se sente.

Enquanto assistia ao filme um pensamento surgiu-me na mente “O que acharia o Chris da nossa geração?”. Parei por momentos e pensei nesta questão. O que realmente ele acharia? Acredito que ficaria deveras assustado, o que ele mais temia acabou por acontecer. Muitas pessoas são movidas a dinheiro. Passam mais tempo a criar a vida perfeita para mostrar nas redes sociais do que a viver. Tanta arrogância. Racismo. A forma como tratam o planeta. Tudo. Dei por mim a pensar num Chris influencer, ri-me com a ideia, porque para mim era impossível esta história acontecer no século XXI. Mas, vamos parar um momento e pensar num Chris a documentar esta sua aventura no seu canal de YouTube, a fazer instastories com dicas para aguentar uma viagem assim, e quem sabe a escrever no seu blogue as deveras aventuras que viveu e problemas que encontrou. Não deixa de ser algo engraçado, mas para mim, algo impossível.

A história de Chris McCandless tinha de acontecer como aconteceu. Tinha de ser uma história com um final triste para chocar o leitor, porém, não deixa de mostrar que somos o que somos. Seres humanos, que não precisamos de muito para sermos felizes, que o dinheiro não nos traz felicidade. A ideia de perdermos tudo nos assusta tanto que vivemos agarrados a tudo o que possuímos. Vamos parar, pensar por momentos que somos o que somos. Podemos ter apego às nossas coisas, lutamos para as ter. Porém, também é importante ter noção que há aspetos mais valiosos na nossa vida. Como a família, amigos, amor, amizade, etc. Seriam felizes sem amor? Não. Mas continuam a amar mais o dinheiro do que ao próximo.

    Deixar uma resposta