Literatura Opiniões Literárias

A Vingança Serve-se Fria

Até onde serias capaz de ir por causa de uma vingança? Serias capaz de matar? Destruir a pessoa? Camilla Lackberg mostra-nos que uma mulher com sede de vingança pode ser bela e brutal, se concordo com esta afirmação? Assim que comecei a leitura achei que tal afirmação era exagerada, parecia-me um pouco até dramático. Uma pessoa com dor é capaz de tudo, mas seria este livro assim tão cheio de mágoa? Faço uma vénia à autora que me deixou de boca aberta.

Uma Gaiola de Ouro a mais recente obra traduzida cá em Portugal de umas das autoras mais famosas de policiais. Camilla Lackberg uma autora que cheguei a ler um policial dela, mas não foi o suficiente para agradar-me. Decidi aventurar-me e através da editora Suma de Letras ler esta novidade que me surpreendeu pela positiva.

A minha experiência de leitura com este livro foi um misto de emoções. Demorei cerca de umas cento e poucas páginas para realmente sentir-me perdida na história e com alguma empatia pela Faye. Assim que deu aquela reviravolta na história que senti que não podia esperar muito tempo para saber até onde Faye seria capaz de ir para mostrar a Jack que não era o dono do mundo. Se ao princípio ficámos com a sensação que será mais um drama amoroso, onde a mulher acaba a sofrer e decidi vingar-se do marido… É a primeira impressão, sem dúvida que a premissa parte daí, porém, o mais interessante é a forma como a autora conseguiu dar um toque tão #girlpower mostrar que uma mulher consegue tudo o que quer, e que não depende de nenhum homem. Que não só os homens podem ser bem sucedidos, que uma mulher quando quer tudo pode.

Apesar de tudo não digo que a leitura tenha sido só pontos positivos, nada é perfeito. Demorei algum tempo para criar laços com a personagem principal, dei por mim a pensar desistir, mas assim que a história começou a desenvolver-se que criámos uma ligação forte com Faye e com todas as pessoas à sua volta. Dei por mim a lutar pela mesma causa que todas as mulheres, a querer uma amiga como a Chris e a querer vingar-me do Jack. É impressionante como a autora consegue cativar o leitor a querer participar na história. Além do mais, a sua escrita pode parecer simples (já li thrillers com uma escrita tão rebuscada!), porém, é aquilo que o livro precisa. Já tem um enredo tão duro e forte, a escrita tinha de ser simples para que o leitor consegui-se digerir toda a informação e acompanhar o rumo da história.

Pode interessar-te: O Dia Em Que Perdemos a Cabeça de Javier Castillo

O final… Bem, admito que desconfiei do final, algumas descobertas que foram desvendadas não esperava de todo. Mas senti que seria assim o final. Na minha mais sincera opinião: acho que não poderia ter terminado de outra forma. A Faye mostrou como a vingança de uma mulher pode ser bela e brutal. Mostrou que sim, as mulheres são muitos menosprezadas no mundo dos negócios, mas que têm grande impacto e são fundamentais. É uma história que fala imenso do papel da mulher e da forma como é vista na sociedade. Como uma mulher sair com um rapaz mais novo parece algo horroroso, mas se for um homem aí está tudo bem. Como muitas mulheres vivem debaixo da asa do marido, por medo de perder as regalias… Vivemos no século XXI, mas muitas destas coisas ainda acontecem, infelizmente.

Um livro que conquista pela mensagem, que não chega a todos da mesma forma, mas que apreciámos mesmo assim. Considero que se trata de um livro de ficção que todos devem ler, vão ver um lado da mulher que não se mostra de forma tão crua. Para mim, este é o melhor livro para lerem caso queiram experimentar as obras de Camilla Lackberg. Surpreendeu. Marcou. Quero mais.

Uma leitura com o apoio da editora Suma de Letras.

Lê também

Sem Comentários

    Deixar uma resposta