Literatura Opiniões Literárias

Dois Guardam Um Segredo de Karen M. McManus

Janeiro 25, 2019

Após o grande sucesso de “Um de Nós Mente” que todos os fãs da escritora aguardavam este livro. Podemos dizer que a editora preocupou-se em trazer aos fãs o mais rápido possível este lançamento de 2019. A sinopse deste livro deixa muito a desejar, sabemos que irá seguir a vibe do primeiro livro, portanto, já é meio caminho andado para agradar aos fãs. A única grande dúvida é: será “Dois Guardam Um Segredo” tão bom quanto o primeiro livro?

As minhas expectativas para este livro estavam muito altas, assim que o recebi em casa comecei a ler. Posso dizer que em 24 horas devorei o livro de uma forma que não julguei ser possível. O mesmo aconteceu-me com o livro anterior da escritora, e sem dúvida que isso deve-se ao enredo que prende o leitor e à escrita que fluí muito bem. Aliado a esses fatores, temos ainda muito mistério e um bom plot twist.

– Todos temos os nossos mecanismos de defesa.

O livro é nos contado através de dois pontos de vista. Não sou pessoa de saber lidar com imensas personagens, e neste livro temos imensas personagens. Ao início fez-me imensa confusão, achei que havia personagens de mais em cena, como se a escritora quisesse que não tivéssemos hipóteses para descobrir o culpado. A verdade é que acabámos por nos habituar a esse formato, já conseguimos saber quem é quem. Acredito que tenha sido uma jogada por parte da autora para nos deixar a desconfiar de todos.

Admito que as primeiras 100 páginas foram as mais complicadas para mim. Gostava da escrita, das personagens, mas sentia que havia muita informação que nos era transmitida e era completamente desnecessária. Com o tempo percebi que não, havia um motivo para tal acontecer, é aqui que bato palmas à Karen M. McManus porque sem dúvida que ela sabe ligar um simples facto aborrecido a algo super importante para a história.

Desconfiei de imensas pessoas, inclusive das personagens principais. Ellery, a nossa estrela e criminologista de serviço, foi a personagem que mais problemas causou-me… Sendo ela a personagem principal estava à espera que fosse quase o centro do livro, e além do mais, sendo ela uma fã de crimes reais e saber tanto acerca deles, achei que ela fosse ter um papel de investigadora. Aconteceu, mas bem no final, preferia que tivéssemos seguido uma Ellery investigadora. Quanto a personagens preferidas, escolho o Ezra e a Mia, personagens que escapam aos nossos olhos, mas senti que eram pessoas reais que me apaixonei logo por elas. Malcolm gostei e não gostei dele, ao princípio achei uma personagem aborrecida, mas depois deixei-me render.

É estranho, mas durante muito tempo, eu não… me conseguia, a ver no futuro.

O final… Foi aqui que senti que a escritora deixou muito a desejar. O verdadeiro culpado eu desconfiei dele, é complicado não desconfiar de ninguém neste livro. Deixei-o de lado porque achei ser um pouco previsível, mas olhem no que deu. Gostei do final, tenho de admitir. A escritora acaba o livro com uma afirmação que nos deixa de boca aberta, ninguém esperava. O final sinto que foi o mais indicado para o livro, um livro que se desenvolveu a um ritmo mais lento, mas que teve de ser assim ou acabávamos por nos perder no meio de tanto mistério e drama.

Para um thriller ya conseguiu surpreender-me, não sou fã de ambos os géneros juntos, mas tanto este como o “Um de Nós Mente” surpreenderam-me. Se este é melhor ou tão bom quanto o outro? Sinceramente, digo-vos que este é realmente muito bom, tem tudo o que um thriller precisava, porém, sinto que o outro teve mais impacto para mim visto ter sido o primeiro a ter sido lido. Recomendo a leitura do segundo livro da escritora, não se deixei ficar com receios, arrisquem nesta leitura. Vão sem expectativas, para estes casos é sempre o melhor. Vocês têm aqui drama, mistério, plot twist, personagens interessantes, e muito mais.

Houve apenas um único detalhe que não gostei. Muitas das vezes a escritora terminava um capítulo quase a meio de um momento importante, se era para criar algum suspense não creio que tenha sido o melhor método. Depois acabava por continuar a ação, mas através dos olhos de outra personagem. Parecia que o tempo não era bem gerido, havia mudanças de manhã para a tarde para contar diversos momentos ou flashbacks. A mim não foi a melhor forma de contar este género de história, acho que podia ter sido melhorado e trazer outro formato mais acessível e organizado.

A escritora interliga várias vezes o passado e presente de uma forma inexplicável, temos o ponto de vista de várias personagens acerca do assunto. A forma como ela passou a mensagem de ser uma aldeia pequena e todos sabem tudo acerca de ti… Não há palavras, acredito que o livro foi bem pensado. Vale a pena ler, é daqueles livros que prendem e não conseguimos pousar. O mais interessante é deixar-nos levar pelas teorias que as personagens criam e interligam, gostaria que tivessem explorado mais essa vertente, senti que foi pouco explorada e daria um pouco mais de interesse à história.

Não sei se será o grande lançamento deste ano, porém, tenho a admitir que conseguiu surpreender-me. Não pensei que este fosse superar ou ser tão bom quanto o primeiro livro da Karen M. McManus. Surpreendi-me, mesmo tendo as expectativas muito altas. Aguardado ansiosamente para o próximo livro da escritora, e caso não esteja em erro, será a continuação do livro “Um de Nós Mente”. Ela já me conquistou apenas pela escrita, apesar de não gostar de histórias contadas na primeira pessoa, a Karen fez-me arrepender e passar a gostar.

Uma leitura com o apoio Gailivro. Compra o livro em Wook.pt.

Deixar uma resposta