Literatura Opiniões Literárias

5 (Mini) Opiniões Literárias #1

Existem diversos livros que quero trazer uma opinião, mas não sei ao certo o que falar acerca deles. Outros quero partilhar, mas penso que não merecem aqui uma full review. Portanto, pensei em organizar uma rubrica onde falo de livros que merecem ser falados aqui, livros que quero partilhar com vocês porque julgo que podem vir a gostar.

// Comer, Orar, Amar de Elizabeth Gilbert //

Vi este filme várias vezes antes de finalmente vir a ler o livro. Adoro o filme, posso dizer que é um dos meus preferidos e aquele que já vi mais vezes. Eu sabia que iria adorar o livro, portanto, avancei na leitura com uma rapidez incrível. O livro e o filme não são iguais, mas são até muito semelhantes. Não estava de todo à espera de serem tão parecidos. Um livro que recomendo, assim como o livro. Este livro inspira, a mim, inspirou-me e muito.

A escrita é muito boa, fluí muito bem. Daqueles leituras perfeitas para descontrair, ajudar a organizar pensamentos e mudar algumas atitudes. Temos aqui um livro para todos, e que na minha opinião, deveria ser uma leitura obrigatória a todos.

Porém, o livro não chegou às cinco estrelas. Sinto que faltou qualquer coisa, penso que o filme conseguiu transmitir melhor certos aspetos do que o livro não conseguiu.

Sinopse: Aos 34 anos, Elizabeth Gilbert, escritora premiada e destemida jornalista da GQ e da SPIN, descobre que afinal não quer ser mãe nem viver com o marido numa casa formidável nos subúrbios de Nova Iorque e parte sozinha numa viagem de 12 meses com três destinos marcados: o prazer na Itália, o rigor ascético na Índia, o verdadeiro amor na Indonésia. Irreverente, espirituosa, senhora de um coloquialismo exuberante, Elizabeth não abandona um minuto a sua auto-ironia e conta-nos tudo acerca desta fuga desesperada ao sonho americano que começou no momento em que encontrou Deus.

 

Quando fez 30 anos, Elizabeth Gilbert tinha tudo o que uma mulher americana formada e ambiciosa podia querer: um marido, uma casa, uma carreira de sucesso. Mas em vez de estar feliz e preenchida, sentia-se confusa e assustada. Depois de um divórcio infernal e de uma história de amor fulminante acabada em desgraça, Gilbert tomou uma decisão determinante: abdicar de tudo, despedir-se do emprego e passar um ano a viajar sozinha. “Comer na Itália, Orar na Índia e Amar na Indonésia” é uma micro-autobiografia desse ano.

O projecto de Elizabeth Gilbert era visitar três lugares onde pudesse desenvolver um aspecto particular da sua natureza no contexto de uma cultura que tradicionalmente se destacasse por fazê-lo bem. Em Roma, estudou a arte do prazer, aprendeu a falar Italiano e engordou os 23 kilos mais felizes da sua existência. Reservou a Índia para praticar a arte da devoção. Com a ajuda de um guru nativo e de um cowboy do Texas surpreendentemente sábio, Elizabeth empenhou-se em quatro meses de exploração espiritual ininterrupta. Em Bali, aprendeu a equilibrar o prazer sensual e a transcendência divina. Tornou-se aluna de um feiticeiro nonagenário e apaixonou-se da melhor maneira possível – inesperadamente.”

Editor: Bertrand Editora | ISBN: 9789722515030 | Páginas: 376 | Classificação: 4 em 5 Estrelas

// Tudo, Tudo… E Nós de Nicola Yoon //

 

Um livro que li num par de horas. Foi pegar no livro e só pousar quando o terminei. Foi uma leitura incrível, apaixonei-me pelas personagens assim que as conheci. É daqueles livros muito fofos, querido e românticos. Na minha opinião, este livro tinha uma vibe de Viver Depois de Ti. Uma história que arrasa corações, que deixa qualquer um apaixonado.

 

A escrita fluí, este género literário não há muito que enganar, já sabemos ao que vamos. Uma história romântica, um casal, e ser diferente? Não é assim tão fácil trazer uma história diferente do normal. Nicola Yoon surpreendeu. Eu não tinha expectativas nenhumas para este livro, surpreendi-me. 

 

Realmente vale a pena ler este livro, não seja apenas para viver esta pequena aventura amorosa. Mesmo que não gostem da história, isso pode sempre vir a acontecer, têm a oportunidade de conhecer a escrita da autora. Este livro além de ter uma história especial, é um livro cheio de surpresas. Uma edição linda, cheia de amor. Recomendo.

Sinopse: Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira – até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior – mesmo que isso ponha a sua vida em risco. Nicola Yoon escreveu um livro comovente com uma mensagem para leitores de todas as idades.”

Editor: Editorial Presença | ISBN: 9789722358583 | Páginas: 320 | Classificação: 5 em 5 Estrelas

// Por Treze Razões de Jay Asher //

Queria ler este livro assim que ouvi falar na série. Claro, primeiro o livro e só depois a série. Resultado: nem um, nem outro. Pronto, não foi bem assim. Gostei até do livro, a forma como apresentaram a história foi diferente. O enredo não é de todo o que eu estava à espera, surpreendeu-me.

O tema deste livro não é fácil, abordar um tema assim é deveras muito complicado. Para além do tema do suicídio, temos ainda violação, bullying, etc. Tudo temas intensos e que não são fáceis de digerir. Se a forma do escritor abordar o tema foi o melhor? Não acho, deixou-me um bocado chocada com a frieza. 

Vale a pena ler? Sim, realmente vale a pena ler. É um tema importante, que deve realmente ser discutido. Cada vez mais é um tema comum, infelizmente, e vemos poucos livros de qualidade a falar sobre o suicídio e o que é a adolescência. 

Sinopse: Não podes parar o futuro, nem voltar atrás ao passado. A única maneira de perceberes o mistério… é carregando no play. 
Clay Jensen não quer ter nada a ver com as cassetes gravadas por Hannah Baker. Hannah está morta. Os seus segredos foram enterrados com ela. Mas a voz de Hannah diz a Clay que o nome dele está gravado naquelas cassetes e que ele é, em parte, responsável pela sua morte. 
Clay ouve as gravações ao longo da noite. Ele segue as palavras gravadas de Hannah pela pequena cidade onde vive… e o que descobre muda a sua vida para sempre.”

Editor: Editorial Presença | ISBN: 9789722360517 | Páginas: 232 | Classificação: 3,5 em 5 Estrelas

// Crestino Irresistível de Christina Lauren //

Romance erótico não é de todo o meu género literário. Encontrei este livro enquanto andava pela internet. Não resisti e tive de ler. Estava naqueles momentos de todos os livros que aparecem eu leio. E li. Admito que foi uma pequena surpresa porque eu gostei. Gostei imenso deste livro, da história e das personagens. Por mais que existam alguns momentos que ache demasiado, a história conseguiu ser cativante do início ao fim.

Não é mais um romance erótico, penso que aqui o ponto fulcral é mesmo o romance. Na minha opinião, a parte erótica é só um extra neste livro. Não vem em exagero, vem nas doses certas e nos momentos certos. A escrita fluí lindamente, o facto do enredo ser tudo menos aborrecido faz com que a leitura acabe por voar.

Recomendo esta leitura, mesmo que não seja o vosso género literário, experimentem. Sei que se trata de uma série e pretendo ler o resto da série em 2019. Uma história romântica e, ao mesmo tempo, muito engraçada. Vale a pena dar uma oportunidade, acreditem.

Sinopse: Chloe Mills é empenhada e brilhante. A única coisa no seu caminho? O seu chefe, Bennett Ryan. Ele é exigente, desagradável, insensível — e muito sexy. Um Cretino Irresistível. Bennett voltou de França para Chicago para assumir um cargo vital na importante empresa de comunicação da sua família. Não esperava que aquela estagiária que o ajudava além-fronteiras fosse a deslumbrante, inocentemente provocante — e completamente irritante — criatura que agora é obrigado a ver todos os dias.

O que começa por ser uma simples relação de atração e ódio, tornase algo muito mais intenso, e Bennett e Chloe vão ter de decidir até onde estão dispostos a ir para poderem estar juntos.”

Editor: Marcador Editora | ISBN: 9789897540424 | Páginas: 256 | Classificação: 4 em 5 Estrelas

// Todos os Dias São Para Sempre de Raul Minh’alma //

Admito que gosto da escrita do Raul Minh’alma. A forma como ele escreve comove. Tenho a admitir que gostei mais do seu primeiro livro, esse tocou-me de uma forma inexplicável, este livro chegou ao ponto de eu pensar que se tratava mais do mesmo. O facto de existirem tantos livros deste género, começa a tornar-se demasiado aborrecido.

Ser diferente hoje em dia é deveras muito complicado, conseguir destaque entre milhares é complicado. Se Raul Minh’alma conseguiu isso no primeiro livro, este deixou muito a desejar. Faltou aqui qualquer coisa, faltou ser original. Eu tinha grandes expectativas, eu sabia o que poderia vir a esperar do escritor, mas, infelizmente, ele acabou por deixar-me desiludida.

Recomendo este livro caso gostem de ler algo para aliviar leituras mais fortes. Não é daqueles livros que devamos ler de uma vez só, lemos aos poucos. A escrita é boa, julgo que o Raul já deixou isso bem claro com o primeiro livro, mas as mensagens que ele pretendeu transmitir não me deixaram surpreendia, nem a querer mais.

Sinopse: A vida, em algum momento, vai tentar convencer-te de que não vale a pena acreditar, amar, tentar, lutar e confiar. E nesse momento vais ter de te convencer que enquanto se acreditar valerá sempre a pena amar, tentar, lutar e confiar.»
«Dizem que as duas palavras mais difíceis de dizer são desculpa e obrigado, mas há uma outra concorrente de peso, já-chega. Já-chega de lutar, já-chega de insistir, já-chega de tentar. Para se dizer desculpa e obrigado são necessárias uma bondade e humildade enormes, mas para se dizer já-chega é necessária uma coragem do tamanho do mundo.»
«Não deixes nunca de viver o que quer que seja só porque sabes que vai acabar. Tudo é para ser vivido, mesmo aquilo que sabemos que vai acabar em breve. Principalmente isso. Pois tudo nos ensina, tudo nos faz crescer, tudo nos acrescenta, nem que seja experiência. E se mais nada podemos levar, pelo menos o ensinamento ninguém nos tira. Por isso vive. Tudo. Até ao fim.»
Se há livro capaz de te fazer acreditar mais em ti, no futuro e no amor, é este. Pois além de saber muito bem quem és, sabe ainda quem queres e podes ser. Não te vai dizer apenas aquilo que gostas, mas também aquilo que precisas de ouvir. É um livro que quer ser como um amigo para ti. Dar-te a mão quando te desequilibrares, levantar-te quando caíres e limpar-te as lágrimas quando chorares.
Depois do sucesso de Larga Quem Não Te Agarra, Raul Minh’Alma garante-nos que não importa se os dias são bons ou maus, todos eles contam, todos eles importam. Porque um para sempre é feito todos os dias. E todos os dias são para sempre.”

Editor: Manuscrito Editora | ISBN: 9789898871251 | Páginas: 312 | Classificação: 3,5 em 5 Estrelas

Lê também

5 Comentários

Deixar uma resposta