Literatura Opiniões Literárias

Literatura | Frei Luís de Sousa – Almeida Garrett

Tive oportunidade de analisar esta obra durante o secundário. Foi das obras que me causou mais impacto na minha vida. Lembro-me de ter gostado imenso da história que cheguei a reler algumas partes mais tarde. Decidi que estava na hora de adquirir um exemplar desta obra que me tocou imenso e escolhi esta edição da Guerra e Paz.

Não tenho palavras, eu consegui gostar ainda mais da história. Uma história cheia de simbolismo, com um drama intenso, com um ritmo alucinante. É daquelas histórias que se torna impossível esquecer. Com personagens tão misteriosas, com segredos e com muitas histórias para contar. Um livro que mostra que não podemos controlar tudo, que nem sempre corre como planeamos, e acima de tudo: quando menos se espera a nossa vida pode mudar.

Frei Luís de Sousa não é apenas mais uma obra. Recomendo e espero bem que continuem a estudar esta obra no secundário, porque se assim não fosse não teria tido oportunidade de ficar a conhecer esta grande obra. Não consigo decidir o que mais gostei neste livro, se foi o desenrolar da ação ou das personagens. Ambos, na verdade tudo.

Falo muito bem da história, mas não dou as cinco estrelas? Verdade, não darei as cinco estrelas por um único e simples motivo. Era óbvio quem seria o misterioso Romeiro. Achei muito óbvio, que desconfiei desde do início. Se tivessem explorado essa ideia de outra forma. Mas não deixou de causar tanto espanto, não deixou de impressionar.

Leiam este livro, é uma leitura que todos, mas mesmo todos deveriam ler. Um clássico com uma mensagem forte e cheia de simbolismos. Não sei do que estão à espera para ler este clássico.

Sinopse: Frei Luís de Sousa escapa ao carácter inelutável do tempo. Consagra-o, por isso, no pódio dos grandes clássicos portugueses. É uma obra-prima do teatro romântico. Até Alexandre Herculano, presente na primeira representação, em 1843, aplaudiu.

Garrett bateu-se pelos ideais da liberdade, denúncia e tirania social. E define o drama como a mais verdadeira expressão literária e artística da civilização do século. E esta é a tragédia do destino – o drama. O enredo da obra parece ter sido inspirado na vida do próprio escritor, mas a acção desenrola-se nos finais do século xvi, tendo como pano de fundo a resistência ao domínio filipino e a figura do próprio Frei Luís de Sousa, nome adoptado por Manuel de Sousa Coutinho. Ouçamos as vozes de Madalena, uma mulher atormentada pelo passado, de sua filha Maria, a menina-prodígio, de seu segundo marido, Manuel de Sousa Coutinho, o nobre patriota que incendia o seu próprio palácio, de Telmo Pais, o fiel escudeiro sebastianista. E, por fim, o Romeiro, esse fantasma que, tragicamente, ameaça a felicidade do lar. Um vazio, um eco nesse «Ninguém », que ficará para a história e cultura portuguesas.”

Editor: Guerra e Paz | ISBN: 9789897024306 | Páginas: 184 | Classificação: 4 em 5 Estrelas

Uma leitura com o apoio:

Lê também

2 Comentários

  • Reply
    Angie
    Novembro 21, 2018 at 11:51

    Tenho dois livros da coleção e são mesmo lindos. Imagino a coleção toda junta! Este clássico é dos meus preferidos, acredito que teve grande impacto na minha vida. Obrigada pela visita, beijinhos <3

  • Reply
    Mariana Leal
    Novembro 17, 2018 at 19:35

    Foi o livro que mais gostei de analisar no secundário, sem dúvida! Estou também a ponderar adquirir esta colecção! 🙂

Deixar uma resposta