Literatura

Literatura | Deuses Americanos – Sombras – Neil Gaiman, P. Craig Russel, Scott Hampton

Setembro 23, 2018
As minhas expectativas para esta banda desenhada estavam no máximo. Primeiro por tratar-se disso mesmo: uma banda desenhada, segundo por ser uma adaptação de um livro que muitos falam bem, terceiro se o livro vale a pena e já foi adaptado para série, a banda desenhada só pode ser boa, correto?
Antes de tudo, deixem-me referir que nunca li o livro Deuses Americanos de Neil Gaiman, assim como nunca vi a série. Cheguei a ter interesse em ambos, mas terminei porque nunca ler nem ver. Aproveitei esta novidade que chegou-nos por parte da Saída de Emergência para finalmente dar-me a vontade necessária para comprar o livro e ler. Contudo, não correu como eu estava à espera. 

A banda desenhada consegue ser interessante ao início, gostei imenso da forma como a história teve início, mas ao longo da banda desenhada acaba por tornar-se uma história aborrecida. Como não sabia a história original, meio que não sabia o que poderia acontecer na banda desenhada. Esperava muita ação, terror, drama. Não os vi, vou ser sincera. Porém, houve diversos momentos cómicos que sem dúvida alguma ajudaram na leitura da banda desenhada. Não consegui levar esta história a sério, volta e meia havia uma piada entre personagens, foi sem dúvida o que mais gostei em toda a banda desenhada.

Existem várias mudanças de histórias, num momento estamos a ler a história principal e depois encontrámos outras pequenas histórias que pouco ou nada acrescentam à história principal, mas presumo que mais para o fim tenham alguma relação. De todas as histórias aparte da principal a que mais gostei foi a da Essie, achei um história muito profunda e acho que se fizessem uma banda desenhada apenas com a história dela eu iria gostar. 
Não gostei da arte, de tudo foi o que mais desiludiu-me. Apenas em destaque ficou a arte do início de um capítulo novo que conseguiu deixar-me vários minutos a apreciar. Achei que faltou muita coisa na arte, e uma delas é sem dúvida sentimento. Houve algumas partes de luta e movimento que não percebi que assim se tratava através da arte, apenas pelos diálogos. Muitas expressões dos personagens pareciam vazias, sem sentimento algum. Numa banda desenhada o ponto mais importante é sem dúvida a arte.
Achei que a arte chegou a ser ponto a ser demasiado, achei que houveram páginas com tons muito escuros e outras com tons demasiado claros. Não se tratava apenas de uma página ou duas, mas sim de várias seguidas o que consegue estragar a leitura no meu ponto de vista.
Espero que haja continuação, porque imagino que nem um quarto do livro esteja aqui presente. Pretendo continuar a ler, porque acima de tudo sei o quanto complicado é passar de um livro para banda desenhada, consegue ser mais complicado do que adaptar para o grande ecrã.
Sinopse: “Esta fantástica Road Trip americana conta a história de uma guerra entre os deuses antigos e os deuses modernos. 

Shadow Moon sai da prisão e descobre que a sua mulher morreu. Derrotado, falido e sem saber para onde ir, conhece o misterioso Sr. Wednesday, que o emprega como guarda costas, empurrando Shadow para um mundo mortífero onde fantasmas do passado regressam da morte e onde uma guerra entre deuses está iminente.
O romance vencedor de prémios Hugo, Bram Stoker, Locus, World Fantasy e Nebula que deu origem ao sucesso televisivo da Starz, com autoria de Neil Gaiman, é adaptado como novela gráfica pela primeira vez!
Compilando os primeiros nove números da série de banda desenhada Deuses Americanos, juntamente com arte adicional, esboços de personagens e capas de David Mack, Glenn Fabry, Becky Cloonan, Skottie Young, Fábio Moon, Dave McKean e mais!”

Editor: Saída de Emergência | ISBN: 9789897731266 | Páginas: 266 | Classificação: 3 em 5 Estrelas

Uma leitura com o apoio:

    Deixar uma resposta