Literatura

Literatura | A Minha Avó Pede Desculpa – Fredrik Backman

Este livro acabou por ser uma desilusão para mim. Eu, tinha grandes expectativas para este livro. Nunca tinha lido nada do escritor, mas tinha um pressentimento bom quanto a este livro. Ao ler a sinopse senti que iria gostar, que seria um livro que me deixaria emocionada. O meu erro foi acreditar que iria tratar-se de uma história entre avó e neta, em certa parte tratou-se mas não conseguiu ser o que eu queria.

Elsa vive num mundo fictício que ao início acaba por ser engraçado, um mundo criado pela avó dela que ambas vivem com muita alegria e acima de tudo, com uma união. Adorei ver ao início a relação delas, mas conforme o estado de saúde da sua avó piora a situação muda.

Elsa, apenas uma criança não sabe realmente como o mundo real funciona. Digo-vos isto porque achei-a uma personagem completamente mimada. Não gostei dela, e aborreci-me imenso com ela ao longo do livro. O facto dela estar sempre a fazer referências ao mundo fictício acaba por retirar grande prazer da leitura, estamos a falar de referências que muitas das vezes torna-se complicado ao leitor entender. Outra coisa que gostei ao início mas de tanto exagero ficou aborrecido foi as mil e uma referências em quase cada página do livro a Harry Potter. Ok, gostamos de Harry Potter mas não é necessário estar sempre a referir o mesmo, ou é?

As restantes personagens são pouco ou nada importantes para a história, muito provavelmente apenas a mãe de Elsa acaba por ser importante para ajudar a entender as diferenças entre o amor que a avó de Elsa deu à filha e agora dá à neta. Gostei dessa parte, mostra que nem sempre tudo é porque queremos, depende das causas em que tudo acontece.

Eu esperava um livro intenso, onde fosse chorar imenso com a história de Elsa e a sua avó. Queria um livro onde eu conseguisse recordar a minha avó, lembrar-me do que é ter uma avó. Mas não. Este livro mostrou-me uma criança mimada, que não foi capaz de evoluir ao longo do livro, que faz birra por tudo e por nada, e que não larga o cachecol dos Gryffindor. Honestamente, a Elsa nem a considero Gryffindor mas sim Slytherin.

Sinopse: “Elsa tem sete anos de idade, quase oito, e é diferente. Para já, tem como melhor – e única – amiga a avó de setenta e sete anos de idade, que é doida: não levemente taralhoca, mas doida varrida a sério, capaz de se pôr à varanda a tentar atingir pessoas que querem falar sobre Jesus com uma arma de paintball, ou assaltar um jardim zoológico porque a neta está triste. Todas as noites, Elsa refugia-se nas histórias da Avozinha, cujo cenário é o reino de Miamas, na Terra-de-Quase-Acordar, um reino mágico onde o normal é ser diferente.

Quando a Avozinha morre de repente e deixa uma série de cartas a pedir desculpa às pessoas que prejudicou, tem início a maior aventura de Elsa. As cartas levam-na a descobrir o que se esconde por detrás das vidas de cada um dos estranhíssimos moradores de um prédio muito especial, mas também à verdade sobre contos de fadas, reinos encantados e a forma como as escolhas do passado de uma mulher ímpar criam raízes no futuro dos que a conheceram.

A minha avó pede desculpa é uma belíssima história, contada com o mesmo sentido de humor e a mesma emoção que o romance de estreia de Fredrik Backman, o bestseller internacional Um homem chamado Ove.”


Editor: Porto Editora | Tradutor: Elsa T. S. Vieira | ISBN: 9789720030696 | Páginas: 336 | Classificação: 3 em 5 Estrelas


Uma leitura com o apoio:

Lê também

Sem Comentários

    Deixar uma resposta