Literatura

Literatura | A Ilha dos Segredos – Nadia Marks

Setembro 22, 2018
A sinopse deste livro não se deixa enganar quanto à história. Um romance como já todos sabíamos com uma história envolvente. A certo ponto senti uma conexão enorme com a história, senti que havia algo nela que poderia vir a ajudar-me, foi um pressentimento. Tratou-se de uma leitura de horas, foi pegar no livro e devorar até à última página. Com um escrita fluída e simples, Nadia Marks consegue transportar os leitores para dentro do seu livro.
Não sou de todo fã de romances, mas de uma vez ou outra gosto de ler um bom romance. Senti que este romance seria perfeito para mim, e como cada vez mais tenho descoberto bons romances através desta editora tinha grandes expectativas. A Ilha dos Segredos é uma história que não se centra apenas na personagem principal, é ela a grande causa de tudo acabar por ser descoberto mas em si, a história nem está tão focada nela. O título do livro dá-nos logo a entender que a ação irá decorrer numa ilha e que essa ilha estará cheia de segredos. Muitos segredos, demasiados até.
Quanto à personagem principal, Anna, como referi acima é a desculpa para todos os segredos serem descobertos. Gostei e não gostei desse facto, na verdade gostaria que a história tivesse sido mais sobre a Anna e não a sua família. Eu queria ver até onde seria a Anna capaz de ir para descobrir-se a si mesma, porque achei Anna uma personagem incompleta que só conseguia ser personagem através dos outros.
Vamos viajar até uma pequena ilha na Grécia. Sou muito apaixonada pela Grécia, e sem dúvida que os melhores romances passam-se lá. Anna vai viajar com o pai, encontra memórias de infância nessa ilha e acaba por descobrir segredos à muito enterrados. Achei até aqui um pouco cliché, foi quando perdi o interesse para ler. O motivo é como eu referi, queria mais história da Anna e não descobrir segredos. Contudo, dou o braço a torcer, muitos dos segredos que a Anna descobriu são muito intensos e não estava de todo à espera. 
À medida que a Anna descobre os segredos, esses são nos contados através das personagens com as quais os segredos estão relacionados, gostei imenso disso, mas chegou a uma certa parte que aborrecia. Eu apenas gostava de quando era a Anna a narrar, de resto as outras personagens pareciam que não faziam sentido naquele livro.
Apesar de tudo recomendo a leitura de A Ilha dos Segredos, apesar de tudo é um romance que traz boas memórias e é uma leitura fluída. Gostava que tivesse explorado mais a parte histórica, o livro conta-nos excertos da Segunda Guerra Mundial e sem dúvida que isso seria algo interessante de se ler. Mas, não deixa de ser um bom livro. Uma leitura perfeita para descontrair e para reflectir.
Sinopse: “Muitas vezes, a vida corre ao contrário do planeado. Anna sabe-o melhor do que ninguém. Por isso, a viagem até à ilha onde estão as suas raízes promete dar-lhe a força de que tanto precisa. Na Grécia, Anna irá enfrentar a história desconhecida da sua família e descobrir segredos enterrados há mais de cinquenta anos.
Anna precisa de fugir do seu mundo despedaçado. Depois de uma revelação do marido a ter feito questionar a sua vida, necessita de tempo para recuperar, pensar, voltar a sentir. A oportunidade surge quando o pai decide regressar às origens e Anna se junta a ele.
Mas esta será mais do que uma viagem para se reconciliar com a vida e perceber o que quer fazer. Nessa ilha paradisíaca do mar Egeu e à sombra dos limoeiros da casa de família, Anna irá confrontar-se com segredos dolorosos, histórias antigas e sensações adormecidas.
À medida que recupera os cheiros e os sabores da meninice, fica a conhecer a história do amor proibido entre a tia Ourania e o pai, antes de este se apaixonar pela mãe, Rosaria, filha de uma prostituta que vivia sob os tentáculos da Camorra. Através das cartas descobertas no fundo de velho baú, e pela boca do próprio pai, Anna vê-se, de súbito, transportada aos dias da Segunda Guerra Mundial.
Para se reinventar, Anna tem de fazer as pazes com o passado. E não tardará a perceber que, como os gregos bem sabem, pode existir uma quinta palavra para o amor. *
* O grego antigo tem quatro palavras distintas para amor: agápe, eros, philía e storgé. “
Editor: Noites Brancas | ISBN: 9789898741073 | Páginas: 304 | Classificação: 3 em 5 Estrelas
Uma leitura com o apoio:

    Deixar uma resposta