Lifestyle

Minimalismo – Apenas mais uma moda?

Julho 19, 2018

Quase todos os dias estamos em contacto com novas modas, sempre será assim. Por vezes sinto que não consigo estar a par de todas as novas modas, ou um brinquedo novo, ou uma atualização nova, já viram a nova técnica de maquilhagem? É assim, a cada dia que passa aparece algo novo.

 

Muitas modas eu já ignoro. Não vale a pena seguir certas modas porque sei que dali só irei gastar dinheiro e nenhum proveito. Porque as modas tratam-se disso mesmo, de mais uma forma de despertar o lado consumista do ser humano. Vocês perguntam-se se eu sempre tive este pensamento? Nem por sombras! Como tudo começou? Eu explico.

Li diversas publicações em blogues acerca do Minimalismo, vi vários vídeos, cheguei até a ler alguns livros. Porém, não fiquei convencida. Conseguiria mudar o meu estilo de vida? Mas de que se tratava ao certo este estilo de vida? Não será apenas mais uma moda? Passaram-se meses até conseguir finalmente pôr maus à obra. O que fez-me decidir mudar? Chegou o dia em que percebi que de certa forma, o meu bem estar estava a ser prejudicado pelo meu lado consumista e desorganizado.

Vi um documentário muito bom, o “Minimalism: A Documentary About The Important Things“. Qualquer dúvida é esclarecida, e ficámos com uma ideia simples do que se trata ser minimalista. Temos relatos reais, de pessoas diferentes, pais, famílias, amigos, pessoas solteiras, pessoas que tinham tudo para serem considerados bem sucedidos. Não vou estar a dar a opinião do documentário diretamente, mais à frente farei isso. Digo-vos apenas que recomendo a verem o documentário, vão adorar.

“Imaginem uma vida com menos, uma vida de paixão desimpedida das limitações do mundo à vossa volta.”

Sempre tive aquilo que quis e foi suposto ter. Os meus pais deram-me tudo aquilo que quis e precisava sem qualquer problema. Sempre tive comida na mesa, uma cama, uma casa confortável. Tinha a vida dos sonhos de qualquer um, certo? Não precisava de mais nada, mas a verdade é que havia um vazio.

Li imenso, procurei imenso, sonhei imenso. Ser feliz, é possível? A pergunta que mais fiz na minha vida, pelo menos nos últimos tempos. Para a minha família esta pergunta seria interpretada no mal sentido, porém sinto-me agradecida pela família que tenho e pela vida que tenho. Contudo, falta algo. Preciso de algo mais.

Cheguei a uma conclusão após pensar vários meses nisto: o meu estilo de vida não era o correto. Como descobri? Simples. Usava o meu lado consumista apenas para tentar tapar o vazio. Comprava bens materiais que não precisava realmente. Se servia de alguma coisa? Claro que não. Sempre diziam que a felicidade estava ao virar da esquina, mas sem esforço nada se consegue. O estilo de vida que eu levava não era viver para mim, era simplesmente viver para os bens materiais. Os bens materiais possuíam grande valor para mim e para quê? Com que sentido?

Tenho perfeita noção que este meu estilo de vida foi influenciado pelas modas, pelas diversas publicidades que estamos constantemente a ver seja na televisão, nas redes sociais, em todo o lado. As redes sociais passam-nos uma imagem perfeita de como a nossa vida também deveria ser: uma vida perfeita sem qualquer falha.

Passámos a vida a acumular, desde livros, CD’s, DVD’s, roupas, revistas, etc. E se deixássemos de acumular tanto? Se tentássemos simplificar? É aqui que entra o Minimalismo. Segundo o minimalismo devemos livrar-nos daquilo que não faz falta na nossa vida. “Isto faz realmente falta na minha vida? Porquê?” Caso a resposta seja não, já sabe o que tem de fazer: desfazer-se de livre vontade dessa coisa.

O truque aqui é viver mais com menos, será possível? Temos o exemplo de várias pessoas, basta pesquisarem na Internet e encontram várias. Mas, tenham cuidado com os testemunhos que aceitam como verdadeiros ou errados, pode apenas ser mais uma técnica de publicidade.

Desde que nascemos que estamos habituados a ouvir o típico de estilo de vida americano: o sonho americano. Ter tudo do melhor. Tenho um carro, mas quero um melhor. Tenho uma casa, mas quero uma casa melhor. Tenho um ordenado, mas quero um ordenado melhor. Tenho tudo que preciso, mas quero melhor. Em contrapartida, entra o minimalismo com um estilo de vida diferente. Viver mais com menos, viver com o que temos.

O facto de sermos acumuladores faz com que constantemente tenhamos o pressentimento de não ter espaço suficiente para as nossas coisas. E, no que resulta isso? Queremos mais espaço, e com mais espaço acabámos por comprar mais. É um círculo vicioso. Comprar tralhas que não precisámos necessariamente para ocupar espaço.

O que significa ser realmente feliz?

Todos procuram uma forma de dar um sentido às suas vidas, apenas não sabem como. Eu estava nesta situação, por isso procurei outros estilos de vida que fossem de encontro com aquilo que desejava. O minimalismo não se trata apenas de deixar de comprar aquilo que te faz feliz: se gostas de livros, se eles te trazem felicidade compra-os, não vais deixar de os comprar apenas para seres menos consumista. Os livros fazem parte de ti, portanto compra. Tudo o que te faça feliz, e seja o caminho para a tua felicidade podes comprar.

Não é necessário desapegar-me de tudo para ser minimalista. Apenas me desapego daquilo que não me faz a mínima falta. Tenho um armário cheio de roupa que não uso, porque guardo? E muitas outras coisas que acumulei e que não me fazem falta. Que decidi fazer? Desapegar-me de tudo aquilo que não precisava mais, e sabem que mais? Fiquei com um sentimento de leveza, como se tivessem tirado um peso de cima de mim. Acho que foi a melhor decisão da minha vida.

Dinheiro compra felicidade?

Sempre tivemos e temos aquela sensação de que o dinheiro traz felicidade. No meu ponto de vista, ter dinheiro traz uma sensação de segurança, e assim acabámos por ficar mais tranquilos. Não é felicidade, é apenas segurança. A verdade pura e crua é: não podemos ganhar mais dinheiro, nos tempos que correm torna-se complicado. Mas, em contrapartida, podemos sempre poupar mais dinheiro. Viram? Mais uma solução para vários problemas. Podemos controlar os nossos gastos e sentir aquela segurança que nos traz tranquilidade.

Todos querem algo mais na vida do que apenas trabalho, contas, dinheiro. Ou estou errada?

Somos apegados aos bens materiais com unhas e dentes. Não deixámos nada de lado, e arranjámos sempre forma de dar valor sentimental a um objeto. Somos mais apegados aos objetos do que às pessoas. Acham que isto assim pode resultar? Use os objetos e ame as pessoas.

O consumismo não está errado. O consumismo exagerado sim não está correto. Comprar apenas porque apareceu numa revista? Comprar apenas porque uma celebridade disse que precisava daquilo? Precisam mesmo dessas coisas?

O minimalismo não é uma mudança de vida radical. É acreditar na qualidade acima de quantidade. Vocês sabem, mais vale uma boa camisola do que quatro camisolas que não gostas. É aqui que temos de ter noção do que comprámos, ter noção da qualidade e o fim que vai levar a peça de roupa. Devemos fazer isto com tudo o que comprámos, ter consciência na hora de compra.

O facto de não estar preparado, faz com que tudo pareça inseguro e cause alguma desconfiança. Se estivermos preparados devidamente, com um plano de reserva, sentimos confortáveis e preparados para tudo o que possa acontecer. O minimalismo tem um papel fundamental neste sentido. O facto de termos menos, torna-se fácil na altura dos imprevistos. Venha o que vier estaremos sempre preparados.

Isto tudo para dizer-vos: minimalismo não é apenas mais uma moda. É um estilo de vida complicado, não conseguimos mudar do dia para a noite, mas de forma gradual conseguimos ser alguém melhor. É preciso aprender muito antes de entrar de cabeça neste enorme desafio e aventura, mas acredito que no fim os resultados serão maravilhosos.

Se sentem um vazio, se sentem que falta algo, se sentem que precisam de mudar e não sabem como: experimentem este novo estilo de vida. Quem sabe seja a resposta para todos os vossos problemas. Vou continuar a partilhar com vocês a minha aventura a ser minimalista, esperem para ver no que vai dar. Entretanto, podem sempre dizer-me o que acham do minimalismo? Qualquer dúvida que tenham podem sempre perguntar e eu arranjo a melhor forma para vos responder.

  • Reply
    Minimalismo, Hygge e Sisu – The Little Angie
    Junho 11, 2019 at 10:04

    […] pensei que seria mais uma moda, podem ouvir-me falar sobre isto aqui nesta publicação sobre Minimalismo – Apenas mais uma moda? Entretanto, adaptei-me tão bem a este estilo de vida que dou por mim a querer simplificar tudo. […]

Deixar uma resposta